16.1.15

Muitos a falar

Querer-te no peito
uma constelação de barcos
e resolver depressa isto
falar limpo como o brilho

Torna porém a imagem
o corpo rodando lento no
soco luminoso de praia
este bração nos lumes

Rasgo valente mas extenuado
tu vens correndo e escrevia
deste lado a areia é muita
molhando num toque d’osso

Dás numa luz de corpo
resoluta e audaz que às vezes lembra
o encorpar a
bater de megafones marados

Cumprimento os amigos
gosto deles e antipatizo
colaboro
e revolvo dentro nas bizarrices

Amanhar depressa isto
falar tiro limpo
como brilho

De Onde fingimos dormir como nos campismos, Enfermaria 6, Lisboa, Novembro de 2014, p. 26. Ver versão digital do livro aqui.