20.6.14

Um pouco acima da miséria


De Um pouco acima da miséria (XXIX Prémio de Poesia Cidade de Ourense, 2013) , novo livro de Amadeu Baptista, transcrevo poema publicado por Nuno Dempster no blog A Esquerda da Vírgula

IRENE PAPAS ENTOA VERSOS DESCONHECIDOS NO EPIDAURO AQUANDO DA INVASÃO ALEMÃ DA GRÉCIA

Venho com figuras de deuses no meu corpo
e estou a cantar. Na mão esquerda trago
uma camisa de linho e, na direita, uma bandeira
azul e a proa de um navio. Invoco os talismãs
propícios e sobre o promontório procuro a luz
de outrora e a que há-de vir. Eu e o meu povo
sabemos que desígnios transparecem
nos golpes que sofremos.