7.6.13

Os sítios onde eu gostava de ser feliz

Diz-me ele para trabalhar com a maré, como se eu soubesse. Mas ainda tirámos uns peixes valentes, lá naqueles buracos da praia, aqueles no meio, os das pedras não, éramos para aí os últimos. O carreto até se passava, o gajo ali a dois metros, pum, e eu para trabalhar com a maré. O gajo ficou todo lixado. A noite escura, a dourada a arrastar pela areia. São os sítios onde eu gostava de ser feliz.