21.2.13

Entradas num livro novo #08

Vou comentar o seguinte
a propósito disso de cordas
e cabos andando uma noite
nos baixios a vigiar

São jornadas sem ver terra
sem ver gente e o sol direito
parece ser sempre o mesmo
depois o escuro é bruto e senta

É como um buraco que te cavam
e quando sopra vem áspero
está escuro mas uma cor linda
que é o vento vergado nas madeiras

Quer dizer está a festa preparada
meto ferro e rio-me bem grande
enquanto na camarata lá em baixo
todo mundo dorme

Uma pedra parecida
Fevereiro 2013