7.12.12

Falas de falar, portuguesa vela


Vinha de um lado da rua e eu do outro, cada um no passo que o respectivo caminho lhe ia propondo e fazendo avançar numa manhã clara de Setembro, bater de sinos da catedral e de outras torres, todas elas muito perto e muito longe, um bater de sinos que há anos faz crescer e ficar cada um dos dias cumpridos no coração desta terra, mas que dias são esses, pergunto, se os meus dias se os nossos, ou simplesmente os teus quando fico pensando, escuto dizer, e pisando em tardes tuas ao lado das minhas, e às vezes nas tuas noites metidas com as minhas, abrandando o passo na esperança de retomar com mais força cada um desses lugares.

"Vela portuguesa", mais uma. Coluna semanal em língua portuguesa no Diario de Salamanca, aqui.