17.1.12

Luz chata

Transcrição de "Material", texto de abertura de Folas - antologias, no blog da Agio - Caderno de ideias, textos e imagens:

MATERIAL

A cena principia na sacudidela, levanta à volta, e acama a gramática. Resolvo: a letra está bonita, cabe na parte da letra. Não fica, mas lembra qualquer coisa.

Ia meter que os seguintes textos reverberam de circunstâncias, abordagens de ficar à porta, atenção de umbral, curso que não corre, só quer correr e ver correr. Frase grande, mas prossegue. Depois de um verso, chamam-no os outros, chega aqui, faz-te o corpo, faz luz chata, e por aí adiante, a vida ao lado, vai-te embora. É só a gente a continuar, mas a gente sabe que entretanto repete, vai percebendo.

Um relato. Disse-lhe assim, antes de começar: calculo que tenhas carne para isto, manda aspecto, pelo menos, e lá fora aquilo complica. Sim, tenho, e é engraçado, caraças. A fola daqui é torta, mas dá para ver por cima. Nunca percebi quem ia e quem ficava.

Mais um. Enlaçamos no despiste. Pisas forte quando sabes ter chegado, fico aqui, pensas. Que é o lugar mais novo e mais no meio em todo o mundo; o lugar que junta os bocados. Consideras: também faço parte disto, estou-me nas tintas.

Vem outra vez o despiste. Qual destes galos cantou primeiro?

Folas - antologias, Salamanca, ed. autor, 2011, pp.1-2.