6.6.11

O escritor

Tenho universos nos braços, disse, estrelas, pedras, violência, a emoção de lembranças. Um guinar no fundo do corpo, compulsivo. Guardo passagens, frases, maneiras. Comovem-me. Foi no paredão do cais, era Dezembro, anoitecia.