21.4.11

Vagamundos

Vão amigos em viagem, repondo caminhos, a imaginação que se juntava nas letras, tantas letras que ainda temos cada um de nós em caderno pretos, anos depois, estes que entretanto passam e depois se transformam em números, mais nada, contamos, juntamos, lembramos, recordamos os amigos, formas de sentar, de sorrir, maneiras a chorar, guitarras batidas, tintas vermelhas nos papéis. Tenho frases ao pé da boca, levo-as comigo, e toco aquelas músicas que um dia montámos com cervejas pretas geladas num balde, recordo.