2.1.11

Falar das coisas a modos de

Escreve António Carlos Cortez em nota crítica a As junções (Ed. Artefacto, 2010) no último Jornal de Letras, que "[n]este volume reúne poemas que já tinham sido editados". Não é por nada, mas não se importa de repetir? Ou o meu exemplar está torto, deve ser isso, e botou tudo ao contrário: reeditam-se os poemas de "As montanhas mágicas" (13), todos os restantes (32) são inéditos. Mas sei lá, posso estar a ler mal.

Bem sei que o tempo é de ouro, e que tudo cresce em cima da mesa, e que a malta escreve muito e escreve de tudo e sobre tudo, mas talvez se deva exigir maior precisão num ofício, em todo o caso, profissional e organizador de leituras e leitores. Se não, pega aí nisso e bute lá dizer umas cenas. Mas como lá em cima, eu sei lá.