29.10.10

Os meses agora são uma merda

[...]
pra casa vai o coração enamorado
passou tudo tão pequerrucho tão depressa
os meses agora são uma merda

[oitava secção do poema, Agosto]